Louca sua miga

28 de fev de 2017

Minhas compras literárias de fevereiro - na internet

Imagem: Tumblr

E aí genteeeeee??? Como cês estão? No mês de janeiro descobri uma coisa chamada compras online para livros. Sim, eu sei que isso já existe há quase um bilhão de anos e que quase todo mundo compra assim hoje em dia, mas eu era meio velhote e me recusava a fazer parte desse estilo tecnológico de compras. Ainda me permitia comprar pelas livrarias da vida, mesmo sendo bem mais caro. Mas a Saraiva me mandou um email no meu aniversário, com um bônus de desconto e boom, me viciei nisso. De forma que, de uma compra, já fiz três.

E caraaaaaaaa, como a gente paga caro comprando nas livrarias hein????? Quanta comodidade, praticidade e economia a gente tem comprando pela internet. Livraria agora só em casos extremos. Só compro meus livros no aconchego do meu lar. Esse mês vi descontos muito bons no site da Saraiva online e aproveitei para comprar dois. 

O legal é que você tem a opção de pedir para entregarem na sua casa, com dois tipos de frete, um mais barato, mas que demora um pouco mais, e um mais caro, só que nem tanto, que chega mais rápido. Ou a opção de não pagar frete e retirar na Saraiva física mais próxima da sua casa. Na minha compra do mês passado, pedi para enviarem em casa. A data de entrega estava para dez dias, mas chegou em quatro. O que achei muito bom. Qual é o site que te entrega antes da data prevista??? Eu sinceramente não conhecia nenhum. O desse mês pedi para retirar na Saraiva Boulevard Shopping, que é a única que tem aqui na minha cidade, Belém. Também recebi um email dizendo que chegou antes da data prevista. O que só me fez amar ainda mais as compras online

O legal do site é que quanto mais você compra, mais descontos nas compras futuras você tem. E ainda ganha bônus. Esse mês ganhei 30 dias grátis em qualquer audiobook. Legal, né?

Imagem: Maya Quaresma

As minhas escolhas foram Orgulho e preconceito e zumbis, uma adaptação literária de Jane Austen, escrita por Seth Grahame-Smith, e publicada no Brasil pela Editora Intrínseca. E o primeiro volume de A rainha vermelha, escrito por Victoria Aveyard e publicada pela Editora Seguinte. Só encontrava esse livro por volta dos R$45,00 e paguei menos que a metade do preço, então valeu MUITO à pena. Já o primeiro, paguei apenas R$13,90.

Imagem: Maya Quaresma

Achei lindo esse trabalho de folha de rosto. Pra mim foi um dos mais lindos que já vi. Estou louca pra devorar o livro. Agora já estou pensando nas minhas compras do mês que vem. Aumentar minha estante é a meta do ano!!! 



LEIA MAIS
4 comentários

22 de fev de 2017

Separados pelo nosso "depois daqui"

Imagem: Reprodução/Tumblr

Escrito por Maya Quaresma
21 - 02 - 2017 às 14:28h

Eu te reparei muito antes de você me reparar. Com seu sapato da Mofficer, sua calça cor de terra molhada e camisa de gola e botão, cinza. Em minha frente na fila da escada do meu restaurante favorito. Eu apressada porque precisava almoçar logo e ir embora para pegar um voo logo mais, depois daqui. Pensando que eu não queria deixar essa cidade. Que eu não queria deixar essa rotina. Que eu não queria ir. Simplesmente. Então você virou. Me olhou, com seus olhos cor de imensidão. E sorriu. Você sorriu para mim e eu pude descobrir que seu rosto faz duas covinhas ao lado dos lábios. E que seus olhos já possuem algumas marquinhas. E isso só fez de você ainda mais lindo.

Você sorriu e tudo o que eu queria era poder descobrir um pouco mais sobre você. Loucura? Certamente. Mas eu queria saber quem você era. O que fazia. Qual o seu trabalho. Os seus sonhos. Se já tinha morado fora do país. Se já pulou de para quedas. Você tem uma cara de homem aventureiro. Do estilo mochileiro. E fiquei imaginando que gostaria de viajar com você. Que gostaria de sair por aí sem rumo e sem destino. Desbravando continentes. Desbravando territórios. Conhecendo novos lugares. Novas rotas. Novos costumes. Novas culturas. Novos sabores. E então eu me peguei imaginando o teu sabor. Em como eu gostaria de saber como era você, parte por parte. Pedaço por pedaço. Linha por linha. Traço por traço. Sinal por sinal. Cada detalhe. 

Dos desejos incontroláveis que só essa cidade me proporciona. Que só essa cidade desencadeia em mim. Eu que estou fugindo dos caras. Fugindo dos romances. Fugindo dos rolos. Fugindo de qualquer coisa que roube ou me tire a paz. Sangrei demais. Sofri demais. Chorei demais. Ficar só é uma opção e gosto de fazer bom uso dela. Mas aí você chega com essas covinhas que são a premonição do paraíso. E eu me apego totalmente a cada parte tua. Dos pés ao cabelo cor de terra. Dos olhos de imensidão, tão azuis que eu me perderia fácil neles rumo ao céu. Me afogaria nesse mar sem medo de que alguém não me salvasse. 

Fiquei com aquela vontade de te dizer algo. Pensei em te dizer algo. Você parecia esperar que eu falasse algo. Me fitou e eu apenas te fitei. Com um turbilhão em minha mente e aquela realidade pulsante me dizendo que, não poderia ser. Não hoje. Não aqui. Não agora.

Não era hoje que eu iria descobrir onde você trabalha. O que gosta de fazer da vida. Quais são seus sonhos. Se já pulou de para quedas. Ou se eu poderia fazer parte da tua próxima aventura. Ou se poderíamos ser a aventura um do outro. Eu tinha um voo para pegar. E esse pedaço da minha realidade que me puxava para trás. Que fazia recuar quando eu menos queria. Queria te fazer companhia. Queria mesmo. 

Mas você virou. Deu as costas solitário para mim e eu fiquei, solitária. Com meus pensamentos vagando soltos perdidos no tempo e espaço. E você seguiu para sua mesa. Sozinho. E eu segui para a minha. Sozinha. E nunca a solidão me foi tão corrosiva. Eu estava no lugar certo, na hora certa, com uma pessoa interessante. Porém separados pelo nosso "depois daqui".


LEIA MAIS
4 comentários

20 de fev de 2017

Se você não vai ficar, me deixe ir


Escrito por Maya Quaresma
08 - Fev - 2017 às 20:05h

Se você não tem qualquer intenção de ficar, então me faça um favor, me deixe ir. Me deixe sair por essa porta aí atrás de você e nunca mais te ver. Me deixe ir. Apenas isso que te peço. Não é nada demais. Eu sei que não. Então por favor, se você não vai ficar, me deixe ir.

Eu não quero aturar suas mentiras mais. Não quero um relacionamento meia boca onde eu finjo que está tudo bem, quando na verdade estamos todos desmoronando por dentro, infelizes, vazios. Eu quero ser preenchida. Quero ser transbordada. E nada menos que isso. Na verdade eu acho que ninguém merece metades. Então por que eu mereceria? Eu queria que nossa relação fosse perfeita. Eu gostaria que suas palavras fossem sinceras. Gostaria que o que saísse da sua boca fosse real. Mas eu sei que não é.

Se você só quer momentos. Só uma aventura de verão. Companhia para aquecer suas noites solitárias. Ou um troféu a quem mostrar nas redes sociais, sinto informar mas você escolheu a pessoa errada para tal. Eu não sirvo para isso. Não sirvo para ser tratada como algo de momento. Eu quero eternidade. Ou alguém que pelo menos tenha a intenção de permanecer. De fazer valer. De tentar. 

Se eu fracassar. Não vai ser porque foi uma mentira. Vai ser porque simplesmente não deu certo. Mas quero ir com a certeza de que tentei. E com você, nós não estamos tentando. Nós estamos apenas empurrando com a barriga um relacionamento fadado ao fracasso. 

E se você não se move, me deixe ir, ao menos. Me deixe dar o passo. Porque eu não quero viver uma infelicidade. Não quero depois, quando você sentir que já não sirvo para o papel de sei lá o que que você me escolheu para atuar, for embora e me deixar com o coração em cacos, chorando pelos cantos porque mais um se foi e eu me sentir mal por achar que a culpa é toda minha por nunca conseguir fazer com que alguém fique. Não. Não quero mais assumir erros que não são meus. Não quero fingir término de pessoas rasas que não sabem transbordar. Então, se você não vai ficar, me deixe ir. Me deixe buscar minha felicidade. Me deixe voltar a me sentir segura sozinha. A me amar acima de qualquer coisa. Eu nasci para ser primeiro lugar. De mim mesma. Então me deixe ir. Mas, saiba de uma coisa. Quando eu for, não volto mais. Não fico onde eu não possa fazer morada. Não moro onde não posso fazer do lugar meu lar. E você, bem, você nunca foi meu lar.



LEIA MAIS

0 comentários

8 de fev de 2017

Quando eu te ver, me desculpa


Escrito por Maya Quaresma
04 - Fev - 2017 às 21h

Quando eu te ver, me desculpa se eu chorar. Quando eu te ver, me desculpa se eu correr e te abraçar feito uma louca. Quando eu te ver, me desculpa se eu simplesmente perder a fala. Quando eu te ver, me desculpa se eu gaguejar. Quando eu te ver, me desculpa se eu sorrir eternamente, fazendo um monte de ruga no meu rosto e me tornando feia. Quando eu te ver, me desculpa se eu cair, tropeçar, pisar no seu pé. Enfim. Quando eu te ver, apenas me desculpa. Me desculpa porque quando eu te ver, meu coração vai acelerar tanto, minhas mãos ficarão trêmulas e eu com toda a certeza do mundo estarei suando frio que, não respondo por mim. É quase certo que vou fazer alguma coisa engraçada e pegar no mínimo um senhor mico. 

Sabe por que? Porque quando eu te ver, eu vou saber. Vou saber que minha espera por você acabou. E mais que isso. Vou saber que minha espera valeu à pena. Valeu cada minuto, cada segundo, cada milésimo. Cada dia olhando esquinas e rostos e faces e pessoas. Valeu cada choro. Cada lágrima derramada no travesseiro antes de dormir e sujando minha fronha de rímel. Cada dia solitário tentando entender porque é que com todo mundo dá certo mas comigo, parece que é tão difícil. Eu vou entender e eu vou saber quando eu te olhar nos olhos que, simplesmente não vai importar quantos dias te esperei. Não vai importar quantos anos te aguardei. Não vai importar quantas roupas novas para impressionar caras em encontros eu gastei comprando. Não vai importar nada, porque vai ser você. E por você eu esperaria até mil anos se possível fosse. Eu não me importaria. 

Porque quando eu te olhar nos olhos meu mundo vai parar. Quando eu te fitar e entender que foi por você que eu esperei. Eu vou sorrir, vou rir, vou chorar e vou te amar. Tudo ao mesmo tempo. E vou te doar meu coração, que já vai ter sido teu muito antes até de eu existir. Porque eu sei, eu sinto, que eu fui feita exclusivamente pra você. E é por isso que eu não me encaixo em ninguém. É por isso que eu não consigo transbordar por ninguém. É porque eu nasci para ser tua. E de ninguém mais. 

Então desde já, me desculpa se eu surtar quando ver que teu sorriso forma duas covinhas na face. Me desculpa se eu descabelar o seu cabelo alinhado. Me desculpa por qualquer atitude tosca que eu venha a ter quando perceber que meu mundo é teu, e eu sou tua. Inteiramente. Mente. Alma. Corpo e coração. Todos unicamente teus. E se por acaso, do jeito desatento que sou, me esbarrar em ti e nem perceber, me cutuca, me chama, faz sinal de fumaça, me joga uma pedra na cabeça, não farei por mal. Juro. É só que... ando tão solitária que me acostumei a seguir só sem olhar para os lados. Se isso acontecer, tem paciência. Tem paciência porque eu aqui já te amo, sem nem ao menos te conhecer.





LEIA MAIS

2 comentários

3 de fev de 2017

Filme: Quando te conheci - Minhas impressões


Imagina uma era onde as pessoas já não sentem mais nada. Não sentem amor, não sentem dor, não choram, não dão gargalhadas. Não sentem medo. Nada. Uma sociedade onde os seres humanos não sentem qualquer tipo de emoção. Imaginou? Pois é sobre isso que esse filme de ficção científica trata. Parece o mesmo do mesmo já visto muitas vezes por aí. Me deparei em muitas cenas lembrando da história que a Lauren Oliver escreveu pra trilogia Delírio, que por sinal é um excelente livro e super recomendo. Lá Lauren trata o amor como uma doença e todos merecem a cura. Aqui nesse filme é isso também. Só que não apenas o amor, mas qualquer emoção. E são separadas em estágios. Estágio 1, 2, 3, 4... até chegar em um nível onde as pessoas preferem o suicídio a ter que lidar com isso.

O filme é intenso e retrata a história de Silas e Nia, que após diagnosticado com a doença em estágio 1, começa a seguir a menina, que tem atitudes um tanto quanto estranhas para ele. E daí começa a surgir um sentimento diferente que tenta lutar, por muitas vezes em vão. Um sentimento desconhecido. Um sentimento proibido. É intrigante e bonito ver a atuação do casal e como foi moldado esse sentimento entre eles. A descoberta do amor e o que acontece depois disso. Gostei da escolha da Kristen Stewart pro papel da Nia, que nem precisa fingir que não tem expressão facial por conta da personagem (ops!) e o fofo do Hoult para Silas. O filme conta ainda com a direção de Drake Doremus e roteiro de Nathan Parker. 

Acabou de entrar no catálogo da Netflix para o mês de fevereiro. Nos Estados Unidos o filme leva o nome de Equals.

Assista o trailer clicando no link aqui




LEIA MAIS
2 comentários

2 de fev de 2017

As melhores frases de "Crepúsculo"


Oieee genteeee!!!! Quem aí já quis um amor de fazer o impossível? Sou apaixonada pela história de Edward e Bella Cullen. Esses dois são tão... que faz até a gente repensar sobre esses ogros sem amor no coração e zero romantismo que acabam passando pelas nossas vidas. Separei minhas quotes favoritas do primeiro livro da Saga, Crepúsculo, pra gente recordar e se apaixonar ainda mais por essa história tão linda. Stephy arrasa com os nossos corações com sua escrita.

As melhores frases de Crepúsculo:

"Eu concluí que, já que vou para o inferno, posso muito bem fazer o serviço completo."

"- Acho que seus amigos estão com raiva de mim por ter roubado você.- Eles vão sobreviver.- Mas é possível que eu não a devolva."

"- Eu me sinto muito segura com você."

"não importa o que você seja. É tarde demais."

"De três coisas eu estava convicta. Primeira, Edward era um vampiro. Segunda, havia uma parte dele - e eu não sabia que poder essa parte teria - que tinha sede de sangue. E terceira, eu estava incondicionalmente e irrevogavelmente apaixonada por ele."

"Sou essencialmente uma criatura egoísta. Quero demais sua companhia para fazer o que deveria."

"- Você é agora, a coisa mais importante do mundo para mim. A mais importante de toda a minha vida."

"- E então o leão se apaixonou pelo cordeiro... - murmurou ele.- Que cordeiro imbecil. - Suspirei.- Que leão masoquista e doentio."

"- A glória do primeiro amor, essas coisas. É inacreditável, não é, a diferença entre ler sobre uma coisa, vê-la em fotos e experimentá-la?"

"O tempo todo pensando que eu era completo comigo mesmo, sem perceber o que procurava. E sem encontrar nada, porque você ainda não estava viva."

"- Não pareço ser forte o suficiente para ficar longe de você, então acho que vou continuar como quiser... Quer isso a mate ou não."

"- Você é a minha vida. Você é a única coisa que me magoaria perder."

"- O crepúsculo de novo - murmurou ele. - Outro fim. Mesmo que o dia seja perfeito, sempre tem um fim."


LEIA MAIS




0 comentários
 
Design exclusivo | Cópia proibida © 2016