Louca sua miga

28 de dez de 2016

Queria poder voltar no tempo


Escrito por Maya Quaresma
27 - Dez - 2016 às 20:14h

Preciso te dizer uma coisa. Talvez você nunca nem leia isso, mas ainda assim eu preciso escrever. Passei dias pensando em você. Tentei negar de todas as formas possíveis mas eu ainda sinto algo por você. Mesmo depois de todos esses anos eu ainda sinto algo por você. E então eu fico aqui, escutando Jason Mraz cantando I'm yours no meu Spotify e relembrando que eu tocava essa música no violino. E então eu lembro dos ensaios que tínhamos juntos, onde eu tocava mal pra caramba e você sempre arrasando em quase todos os instrumentos. Quantos você toca mesmo? Porque eu meio que já perdi a conta. Você é incrivelmente tão bom em tudo, e ainda conseguiu ser médico. Uau. Você é o que? Um vampiro que nunca dorme e por isso consegue fazer mil coisas de forma tão espetacular? Ou tem a ver com teu signo de virgem? Tenho uma inveja por pessoas de virgem, mas é uma inveja branca, tem medo não. É que vocês conseguem fazer tudo de forma tão perfeita. Queria ser assim.

Mas ok, não estou escrevendo esse monte de linha e versos desconexos aqui pra ficar falando do seu signo ou de quantos instrumentos você toca. Quero apenas te dizer que assim como a letra da música que estou ouvindo agora, assim como Jason Mraz diz, eu sou tua. Sempre fui tua. E talvez nunca deixe de ser. Pode passar quantos anos mais, eu ainda vou permanecer aqui. Ainda serei a garota boba apaixonada por você. Porque a única explicação que eu tenho pra todo esse tempo em que me burlei é porque ainda tenho esperança que um dia você vai me olhar daquele jeito que me olhava antes. Parece idiotice da minha parte acreditar nisso, mas eu acredito. Acredito que ainda vamos entrelaçar os nossos dedos igual fizemos naquela aula de história que eu nem lembro sobre o que o professor estava falando, mas lembro nitidamente dos teus olhos. Lembro nitidamente do teu cheiro. Lembro nitidamente que me chamou pra sentar do teu lado. Lembro nitidamente que tudo parou quando teu pé entrelaçou o meu, e ficamos assim, até a aula acabar, com os pés entrelaçados. 

Queria muito poder voltar praquele tempo. Queria voltar, dez anos atrás, e dizer pra você que você, de todos os caras, conseguiu derreter esse coração feito de pedra. E dez anos depois, continua sendo o único a fazer isso. Ninguém mais conseguiu, e sinceramente, nem sei se algum dia encontrarei alguém que mexa comigo da forma que você consegue com um simples olhar. 

Essas linhas são poucas pro que eu queria dizer pra você. Te vi ir e vir com tanta garota, que às vezes tenho uma vontade tremenda de pegar o carro e bater na sua casa e dizer que eu ainda sou apaixonada por você. Agora estamos aqui, sozinhos, e eu nunca quis estar tão junto de alguém, tão junto de ti, como agora. Não sei o que há comigo. Eu meio que me sentia conformada. Pensei que você se casaria com ela, e então eu já tinha dito a mim mesma que iria permanecer solteira. Minha opção não é ser solteira, minha opção é não ter você. E se eu não te tenho, nada vale. Meu coração é teu e é por isso que ninguém mais pode ocupar um espaço em um lugar que não existe mais em mim. Só você é capaz disso. Unicamente.

Não faço ideia como vou terminar esse texto. Eu não sei se quero. Há tanto para te dizer. Talvez eu não termine. Assim ele fica inacabado e com aquele gosto de reticências. Dez anos. Quem diria hein? Se isso não é amor, eu não faço ideia do que seja. Loucura? Pode ser, faz sentido, se formos parar para analisar. E nessa minha loucura tudo o que eu gostaria era poder terminar esse meu ano que foi tão lindo, sublime e incrivel como nunca foi antes, num abraço teu. Colando meu mundo, meus sonhos e minha vida com a tua. E...

0 comentários:

Postar um comentário

 
Design exclusivo | Cópia proibida © 2016