Louca sua miga

11 de ago de 2016

Saúde: Cuidados com a pele para o verão



Maya Quaresma
Biomédica Esteta CRBM PA - 2790

Quem mora em Belém, ou no Norte do país, sofre diariamente com as altas incidências de radiações solares. Apesar de essencial para os seres vivos, os efeitos do Sol sobre a pele dependem de alguns fatores, tais como: características individuais da pele exposta, intensidade, frequência e tempo de exposição ao Sol, localização geográfica, estação do ano, período do dia e condição climática¹. 

O espectro solar que atinge a superfície terrestre é formado predominantemente por radiações ultravioletas (UV), visíveis (Vis) e infravermelhas (IV). Nosso organismo percebe a presença destas radiações do espectro solar de diferentes formas: a IV é percebida sob a forma de calor; a Vis é detectada pelo sistema óptico através das diferentes cores e a UV através de reações fotoquímicas que, por sua vez, podem estimular a produção de melanina promovendo o bronzeamento da pele ou causando desde simples inflamações até graves queimaduras¹. 

O bronzeado é um sinal de agressão à pele. A fim de aumentar a proteção contra os efeitos lesivos da radiação solar, as células produzem mais melanina e, consequentemente, há o seu escurecimento. A pele pode reparar algumas das alterações superficiais causadas pelo sol. Isto explica por que a queimadura solar melhora após alguns dias e o bronzeado desaparece gradativamente, mas as alterações mais profundas permanecem. Através dos anos, após cada exposição solar sucessiva, os danos causados pela radiação UV se acumulam; e os efeitos lesivos podem levar 20 ou 30 anos para se tornarem aparentes³. 

A época de junho, julho e agosto coincide com as férias e é o período em que essa incidência fica ainda maior. No entanto, para aproveitarmos esse momento da melhor forma e minimizarmos problemas futuros, vários cuidados são essenciais, tais como: 

-Se expor ao sol entre 6h-9h ou após as 16h; 

-Aumentar a ingestão de líquidos: água, suco de frutas ou água de coco; 

-Usar chapéu e roupas de algodão nas atividades ao ar livre, pois retêm cerca de 90% das radiações UV; 

-Usar óculos de sol, pois previnem cataratas e lesões à córnea²; 

-Usar balms ou hidratantes (com proteção solar) nos lábios assim como óleos ou fluidos siliconados
nos cabelos; 

-Aplicar diariamente um bom hidratante, para manter a quantidade de água na pele entre 10% a 30%²; 

-Usar filtro solar sempre e não somente nos momentos de lazer. Produtos com Fator de Proteção Solar (FPS) 15 ou 20 são úteis no dia a dia; já os ≥ 30 são ideais para uma exposição mais prolongada².O produto deve proteger contra os raios UVA (indicado pelo PPD-Persistent Pigment Darkening) e UVB (indicado pelo FPS). 

 Aplique o filtro uniformemente em todas as partes do corpo (inclusive mãos, orelhas, nuca e pés²), 30 minutos antes da exposição solar e reaplique-o a cada duas horas ou se houver transpiração excessiva ou se você entrar na água reduza o intervalo. 

Filtros não são apenas cosméticos, mas uma necessidade diária, independente de cor, idade e região geográfica, a fim de nos proteger contra a queimadura solar, evitar o fotoenvelhecimento precoce da pele e degeneração tecidual antiestética, além de impedir o agravamento de doenças preexistentes específicas³. 

Não faça do sol um inimigo. Aprenda a se proteger, sem causar danos à saúde³. Para qualquer dúvida, lembre sempre de consultar seu biomédico esteta habilitado ou dermatologista. 



Referências: 

(1) FLOR J, DAVOLOS MR, CORREA MA. Protetores solares. Quim. Nova, Vol. 30, No. 1, 153-158, 2007. 

(2) Portal da Sociedade Brasileira de Dermatologia. Cuidados com a pele no verão. Disponível em: . Acesso em: 07 de jun. 2016. 

(3) TOFETTI MHFC, OLIVEIRA VR. A importância do uso do filtro solar na prevenção do fotoenvelhecimento e do câncer de pele. InvestigaçãoRevCientUniv de Franca. Franca/SP: 6 (1), 59-66, jan-abr. 2006.




2 comentários:

Postar um comentário

 
Design exclusivo | Cópia proibida © 2016