Louca sua miga

18 de ago de 2016

Era pra ter sido você, mas eu não quis


Escrito por Maya Quaresma
17 - ago - 2016 às 09:43h

Gostei de você desde a primeira vez que te vi. Naquela sala lotada de amigos eu só tinha olhos para você. Por mais incrível que pareça, queria saber quem era aquele garoto que estava vindo para o Brasil, Queria saber das suas experiências fora, da sua vida, dos seus planos, projetos. E aos poucos fomos nos conhecendo, nos tornando amigos. Você já me fazia tua sem ao menos perceber. E tudo que eu queria quando estávamos juntos era que as noites nunca acabassem, só para ficar contigo.

Era pra ter sido você. Quando eu te beijei pela primeira vez senti algo que há tempos eu não andava sentindo. Machuquei tanto o meu coração que me permiti esfriar. Permiti criar uma capa para futuros corações partidos. Me tornei gélida, uma pedra. Não é qualquer pessoa que consegue ver mais a fundo em mim. Mas você conseguiu. Você conseguiu tirar essa capa que eu levava por aí. Como? Só você mesmo para me dizer. E eu senti, senti que poderia ser, que poderíamos ser felizes juntos. Por que não?

Mas, sabe de uma coisa? Eu tenho medo. Tenho medo de errar. Medo de me arriscar. Medo. Medo. Medo. Medo. Eu sou inteiramente medo. Porque eu não quero chorar de novo. Não quero sangrar de novo. Não quero esperar de novo por alguém que só vai ficar um tempo comigo e correr em busca de aventuras de novo por aí. E eu tive medo. Medo de você fugir. De me deixar sozinha, como em tantas outras vezes. E então eu te deixei antes mesmo que você me deixasse.

Era pra ter sido você, mas eu não quis.

Te virei as costas sem pensar duas vezes. Peguei minhas malas e fugi. Eu já estava com as passagens compradas mesmo. Mudei tudo. Até endereço. Não te liguei, não te procurei, não me importei. Não te escrevi, não fiz nada. Entre nós reinou apenas o silêncio, de ambos os lados, e assim permanecemos. Por meses a fio. Mas sabe a verdade? Eu senti sua falta. Senti saudade. Só não estava preparada para te ter.

O problema era eu. Eu e esse meu intuito de me burlar todas às vezes que percebo que pode sim vir a ser. Não sei o que acontece comigo, só sei que às vezes parece que eu não mereço ser feliz a dois e me fecho. Não deveria ter feito isso com você. Justamente com você. Me vesti de mentiras. Me vesti de indiferença. E você não merecia isso.

Quando te vi depois de tanto tempo, e senti teus olhos nos meus, descobri a besteira que eu fiz. Aqueles olhos antes tão calorosos agora eram gélidos, igual meu coração. Me desculpe. De verdade. Por ter te ferido. Por ter virado as costas. Naquele momento eu percebi, fui eu quem perdeu. Eu te perdi, por culpa minha. Se eu pudesse, voltaria no tempo. Praquele carro. Praquela despedida, e te diria que eu queria que você me esperasse. Que a gente poderia ao menos tentar. Eu sequer quis tentar. Te pediria para me deixar te fazer feliz, porque no fundo, era apenas o que eu queria. Te fazer feliz. Foi justamente o que eu não fiz. E agora, não sobrou amizade, não sobrou carinho, não sobrou nada. 

Dói ter que te olhar quase toda semana e perceber que você não tá mais lá. Não aquele que eu conheci. Aquele que segurou minha mão e entrelaçou meus dedos. Me dói saber que nunca voltaremos a ser os mesmos. 

Me dói saber que era pra ter sido você, mas eu não quis.


2 comentários:

Postar um comentário

 
Design exclusivo | Cópia proibida © 2016